Escura?

Todos os capítulos estão em Estas São as Crônicas Brazilianas
A+ A-

Capítulo XXII: Sessão Secreta

 

O Imperador saiu do Palácio do Planalto, mas antes conversou reservadamente com sua esposa a Imperatriz por telefone, finalizada a conversa ele com uma tímida escolta de segurança, caminhou pela antiga Praça dos Três Poderes agora renomeada Praça da Coroa, Constituição e Parlamento.

Já era tarde da noite, que horas seriam? Era o mês de Julho o frio do inverno chegou ao país tropical e gelava as noites do planalto central Brasileiro, havia algumas pessoas, moradores da capital que aproveitava a noite de sábado para caminhar e passear com seus amigos e parentes, tinha quem levava seus cães para andarem com eles ou aqueles que aproveitavam a noite gelada para se exercitarem correndo pela praça e pela Explanada dos Ministérios.

Ver aquele grupo de seguranças mesmo tentando eles serem discretos, em volta de alguém importante chamava atenção, só podia ser o Imperador, quem via pensava e as pessoas que passavam saudavam, alguns gritavam: “vida longa ao imperador”, outros perguntavam: “noite agradável majestade não acha?” ou “Até o imperador trabalha de sábado, vai descansar senhor” e o monarca respondia com um sorriso e um aceno a todos que o abordavam.

Quando o monarca chegou ao plenário da câmera baixa do Império ele entrou sem anúncios e caminhou até seu assento que lhe era reservado para que pudesse quando quisesse assistir os trabalhos do parlamento, a cadeira imperial que era assim chamada ficava atrás da Mesa Diretora dois degraus acima da cadeira que na república era ocupada pelo presidente da câmera e atualmente é reservada ao Primeiro Ministro.

A câmera fervia com os presentes que debatiam questões de ordem como o orçamento do próximo gabinete e alterações do estatuto da casa, tudo isso sem a presença do chefe do governo. A discussão era tanta que ninguém se tocou da presença do chefe de estado o Imperador. E demoraram a perceber ou se dar conta.

Quando viram que ele estava presente o monarca tomou o microfone e disse:

—Boa noite senhores, me vem aqui uma curiosidade, uma não, mas várias, entretanto antes que eu exponha elas aos ouvidos de todos, (neste momento seu tom de voz mudou) POR QUE ESTA SESSÃO ESTÁ A PORTAS FECHADAS E NÃO TEM NENHUMA EMISSORA TRANSMITINDO, FATO QUE EU MESMO CONFERI? EU QUERO A TV OFICIAL TRANSMITINDO AGORA OU CUIDAREI PESSOALMENTE DOS PROCESSOS LEGAIS ACUSANDO—OS POR TRAIÇÃO POR ESTA PALHAÇADA!!!!!!!!

Um técnico que era responsável pela transmissão ao vivo da emissora estatal perguntou para quando era que tinha que ligar as câmeras, o monarca respondeu visivelmente alterado de raiva.

—PARA AGORA!!!!!! NÃO ERA NEM PARA FICAR DESLIGADO, QUERO PARA AMANHÃ NO MAIS TARDAR NA TERÇA OS NOMES DOS RESPONSAVEIS POR FAZER ESTA SESSÃO A PORTAS FECHADAS NA MINHA MESA!!!!

A Emissora TV Câmera voltou a transmitir a sessão ao vivo e os fatos ali presentes fizeram com que outras emissoras de TV pelo país interrompesse suas programações e retransmitissem o que passava na emissora estatal ao mesmo tempo que as redes sociais fervilhavam de internautas surpresos e curiosos com o que estava por vir…

O monarca retomou um pouco mais calmo a palavra:

O monarca retomou um pouco mais calmo a palavra:

—O Que vejo aqui? Em nome de todos os cidadãos do império que agora estão neste exato momento vendo o que ocorre mais os outros que virão em outro momento, em nome dessas milhões de cabeças que formam este glorioso Império eu levanto por todas elas as seguintes questões:

—1º porque esta sessão foi a portas fechadas sem nenhum meio de comunicação oficial acompanhando?……

—o senhor o que……………. Um deputado da oposição tentou interromper a fala do imperador que rapidamente o cortou:

—Se o senhor não sabe o regimento desta casa eu sei de cor e salteado recitaria aqui se necessário e por isso eu digo que no inciso nº 7 está escrito que quando desejado o Imperador como chefe de estado como defensor perpétuo do povo Brasileiro no exercício diuturnamente e incessante de suas funções posso e devo assim que desejar tomar todo o tempo por mim solicitado para me pronunciar nesta casa de preferência sem ser interrompido e tendo prioridade na fala desde claro que haja uma razão que deve ser exposta a não ser que a razão em si já esteja implícita.

Como estou vendo uma sessão que tecnicamente é ilegal eu não preciso justificar a hora nem por quanto tempo eu tomo a palavra e TODOS devem ouvir. Tudo esclarecido senhor? Deveria ter contigo uma copia do regimento da casa não é uma falha que se podem deixar de lado ainda mais para um político experiente como o senhor.

Enquanto isso na internet viralizava as hashtags: #temfalcatruaai; #vidalongaaoimperador; #tocomomonarca.

O mesmo deputado um típico coronel do nordeste dono de meios de comunicação e outros negócios escusos ou não que condenam por seus interesses uma gente a ignorância e a miséria, triste chaga na sociedade que demorará muitos anos de governos virtuosos para ser combatido. Este deputado um tirano local que no alto da sua hipocrisia tomou a palavra:

—Agora eu posso falar?

—Vá! Quero ouvir o que tem a dizer. Respondeu o imperador. O deputado não perdeu tempo:

—Veja só o que temos aqui nesta casa um reizinho achando que este ambiente democrático é teu feudo achando que pode vir aqui dizer o que deve e não deve ser feito, o senhor esqueceu que é só uma figura decorativa de enfeite e onerosa aos cofres públicos? Nós aqui fomos ELEITOS DEMOCRATICAMENTE e sabemos que uma vez que o poder emana do povo e este mesmo povo nos colocou aqui, sabemos eu volto a dizer saber melhor o que fazer, melhor inclusive do que o senhor sabe, que acha que só porque pode ser chamado de imperador vir na hora que bem quiser!

Em nome desta casa eu digo, volte para o seu palácio faça suas cerimônias e deixe o legislativo legislar!!!!!!

O deputado da oposição pelo PTB o partido mais antigo em atividade foi ovacionado por outros colegas ali presentes. Sem perder tempo D. Rafael que não se abalou respondeu:

—Interessante, muito interessante o seu discurso, se me permite vou usar dos mesmo argumentos que o senhor usou contra mim, contra você. O senhor me acusou de

ser um reizinho, não foi à primeira vez e não será a última, eu já ouvi você falar em outras ocasiões que sou um príncipe que acha que está em um reino encantado brincando de contos de fadas. Argumentos bem interessantes por sinal.

Pois bem, você e sua família controlam a economia de uma das regiões mais pobres do Nordeste, votou contra as medidas propostas nesta casa que visava impulsionar a economia daquele lugar alegando inúmeros motivos. Na real, deputado é que o senhor controla aquele lugar e mantém a população pobre justamente para poder dar esmolas aquela gente.

Eu sei quem você é sei e há quanto tempo a sua família governa essa região, sei que tem inúmeras acusações contra ti, sei que tem correndo um processo que inclusive pode culminar em pena de morte ou acha que não acompanhei aquele caso dos jovens que desapareceram misteriosamente logo após denunciar irregularidades em uma daquelas cidades? Acha mesmo que quando alguém do governo se envolve com algo suspeito eu não acompanho o desenrolar? Sabia que sei os nomes dessas vítimas e suas ligações com outras pessoas que lhe soarão familiar?

—Você…………………..

—Fique quieto, eu vou falar e falarei o tanto que eu tiver que falar. Você ignora completamente a carta deste país e esqueceu que meu poder como moderador serve justamente para colocar em seu lugar oportunistas como você. Também sou um cidadão, está na lei e vou como qualquer cidadão, protocolar um pedido de esclarecimento na justiça perguntando o motivo do seu processo está travado.

Cometi um erro, recebi informações que me aconselharam a tratar como sigilosas, mas para que? Para que vossas excelências mesmo após o parlamento ser dissolvido, fato este bom lembrar que vocês PEDIRAM!!!! Fazerem uma sessão criminosa como essa. Vou tornar a público as informações que recebi.

Você diz que tem todo o poder por que foi eleito pelo voto, mas esqueceu de alguns detalhes que vou calmamente te relembrar:

1º o povo pode ser pressionado ou movido por paixões transitórias votar errado em políticos que não são aquilo que aparentam ou mesmo traem depois de eleitos suas expectativas mostrando sua real face.

2º governos vêm e vão, mas a nação o estado tem que ser eterno pelos que já se foram e pelos que virão alheias as paixões ideológicas.

3º cabe a mim como monarca moderar os maus políticos que são eleitos de forma irregular e aconselhar pelo bem da nação, independente de quem está no governo.

4º eu irei ao mais tardar amanhã tornar público todo o seu processo que me pediram para manter em segredo enquanto o inquérito não se encerrava e baseado nas acusações de que o senhor mandou matar quem testemunhasse ou denunciasse, eu lhe desafio a fazer o mesmo que fez a estes jovens fazer comigo.

Muito obrigado a todos, declaro está sessão nula e ordeno um inquérito para apurar os responsáveis.

Enquanto isso quase todas as telas do país seja TVs, monitores ou celulares estavam sintonizadas vendo aquele vexame e como o imperador quando necessário conduzia com pulso firme a nação, as opiniões variavam apesar de a grande maioria enaltecer e apoiar D. Rafael.

Já à oposição fazia discursos raivosos em suas páginas oficiais na internet à maioria proferidas pelo auto proclamado Governo Republicano Brasileiro no exílio, exílio este localizado nas ruas entupidas de gente de um bairro para estrangeiro em Pequim confortavelmente instalada e provida pelos politiburocratas do partido comunista chinês.

Alguns grupos opositores também anunciaram uma serie de “atos sociais” um eufemismo para atentados violentos ou no jargão popular, atentados terroristas. Infelizmente mesmo após a monarquia restaurada ser constituída o flagelo de ataques violentos esporádicos continuava e se o objetivo era minar a confiança e a legitimidade da monarquia acabou tendo efeito contrario ao confirmar o discurso nacionalista e conservador do LPN que a cada gabinete ganhava mais força.

Terminou mais um dia, finalmente, pois até os monarcas chegam de volta aos seus lares cansados após mais um dia de trabalho, sustentando só um símbolo, um ofício que poderia ser resumido na seguinte divisa: Non sibi sed Patriae, não para si, mas pela pátria e não seria o imperador o maior servidor no esforço pela honra, glória e continuação do império?

D Rafael mandou mensagens a sua esposa dizendo que logo chegaria a sua casa, enquanto atravessava as galerias do congresso em direção ao seu carro que o esperava, lá uma jovem de rara beleza em vestido fino o abordou não era ninguém menos que Kuria, afinal quem mais seria.

—Olha só se não é a mais jovem marechal do Império

—Sabes que não sou tão nova assim apesar de aparentar rei..

—Veio até mim só para dizer isso?

—Não, como você esta? Tudo bem? Dia difícil?

—Sim, sim e sim para todas suas perguntas

—Gostei da sua postura, agiu como se deve agir um rei

—Fiz meu melhor….

—Eu vi enquanto estava na sua casa brincando com seus filhos.

O Imperador D Rafael possuía dois filhos e uma filha o mais velho de 15 anos se chamava D Rafael Antônio já o rapaz mais novo tinha 13 anos e se chamava D Pedro Bertrand em homenagem ao falecido irmão mais velho do Monarca que havia deixado este mundo há muitos anos ainda durante a república em um trágico acidente aeronáutico e que se não fosse esta tragédia repousaria em seus ombros o fardo da Coroa o nome Bertrand era em homenagem ao seu tio. Já a menina tinha 7 anos e se chamava Luisa Maria Pia.

“Primeiro abre um portal, vórtice ou o que seja depois vem uma criatura semelhante a uma mulher que se diz ser uma divindade e tem uma força capaz de erguer blindados como se fossem de brinquedo (sim ela já fez isso em um incidente 4 meses atrás, na verdade uma demonstração recreativa) que para ficar igual ao Superman só falta voar (por incrível que pareça Kuria e seu irmão não conseguem voar no máximo planar quando pulam de um lugar alto) agora vejo este mesmo ser virar por conta própria babá dos meus príncipes?”

Foi o que o imperador pensou isso porque ele esqueceu em sua rápida divagação de outros fatos que soariam muito estranhos, mas que o cansaço omitiu. (Também esqueceu ou ignorou que Kuria pode ler pensamentos).

—E para onde você irá Marechal?

—Tua esposa me deixo dormir hoje no palácio.

—Já que está aqui e dormirá em casa te convido a participar de uma ação beneficente que iremos fazer amanhã em honra ao profeta São Daniel, pretendemos arrecadar fundos e doações para um asilo e um orfanato, todos que participarem deverão trazer algum alimento ou roupa para doar além de pagar uma entrada de 30 reais para custear o que irá ser oferecido, realizaremos vários jogos para arrecadar mais doações eu mesmo como de costume já despendi uma boa soma alem de doar roupas velhas que não uso mais que devido a posição que ocupo serão leiloadas e revertidas como doação.

—Interessante então terei de trazer algo?

—O que custa não tem nada?

—Digamos que não (Kuria de um sorrisinho cínico)

—Então entretenha os presentes, sei que tem habilidades que não sejam relacionadas à carne e o sangue (ou seja, matar e seduzir),  já que foi por iniciativa própria babá de meus príncipes entretenha as crianças que virão.

—Tenho que ir?

—Sim, somos amigos e te recebi em minha casa.

E assim como acontece esporadicamente de forma tão rara que a historia não registra, um mortal dobrou o orgulho da deusa e Kuria se fez presente em um evento de caridade católico.

 

111460cookie-check

Tags: {{chapter_after_readerarea_novel_tags}}, ,

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Capítulo XXII