Escura?

Logan

Todos os capítulos estão em Logan
  1. Otako
  2. Logan
  3. Logan
A+ A-

Perda da amada
Um dia antes do primeiro dia de treinamento do Logan, dia da operação limpeza total.Após passar uma noite em casa sozinho, sem minha esposa, a noite mais horrível que já passei, ela ganha alta e volta para casa, pena que isso não dura muito.

Nos somos convocados para mais uma operação, então fomos para a base, no caminho até à base, estávamos no avião que nos levava para lá, eu fiquei observar minha esposa, por todo a viajem, aquela noite sozinho me fez pensar, e seu perder ela, o que vai ser de mim?

Não posso perder ela, o único jeito é nos acabarmos com isso, com essa vida.

– Amor.

– Sim.

– O você acha de depois dessa missão, pararmos.

– Como assim?

– Digo abandonar a Iw,nos aposentarmos.

– O que?! Porque esta dizendo isso?

– Por que você se machucou na operação, não quero perder você.

– Você não vai me perder James.

– você promete?

– Claro.

Ela deu um sorriso, um lindo sorriso só dela, como ela sempre deu para mim.Após ela sorrir, nos possamos na base,descemos do avião e nos encontramos com o resto do esquadrão, estavam todos, fiquei feliz em vê-los.

Cumprimentei o pessoal e fomos para sala do general, onde iríamos receber as informações da operação.

Entramos na sala, nos sentamos em volta de uma mesa redonda, e esperamos o general aparecer. Ele entra na sala mau nos cumprimenta.

– Agora que vieram, vou começar.

Ele ligar um projetor e enquanto mostra imagens de um cidade de algum país da América do Sul , explica a situação.

– Os chamei aqui, pois é uma emergência, uma cidade do Chile, uma cidade pequena foi tomada por evos, eles estão matando todos que encontram, inclusive crianças.- Qual o nosso objetivo general?

– Não é óbvio, vocês iram invadir e exterminar essa Praga, como se fossem insetos.

– Entendido. Quando começa a operação?

– O mais rápido possível sargento.

– Sim, senhor. Iremos daqui uma 1 hora.

– Ok. Estão dispensados.

Pegamos os equipamentos,colocamos no avião e partimos completar essa operação como sempre.

No caminho até o local , mesmo eu estando confiante em nosso sucesso na operação, algo me dizia que alguma coisa ruim iria acontecer, mas eu torci para que isso não fosse verdade.Descemos no terraço de um prédio, eu, Sofia e o resto do esquadrão.

A cidade estava vazia, uma neblina muito estranha contornada a cidade e o ar estava frio.- amor, o você acha disso?- Eu não sei, nunca vi nada igual.

-…

– Vamos descer.

– Ok.

Descemos do terraço até o chão, quando chegamos na rua, em frente ao prédio que estávamos, um dos meu soldados disse ter ha vistado, uma pessoa correndo para o Leste da nossa Direção.Então Fomos atrás dessa tal pessoa, enquanto caminhávamos, nos deparamos com gritos vindo de um hotel em nossa frente, corremos até lá, quando entramos no hotel, ele estava abandonado e em suas paredes havia marcas de garras, me aproximei até essas marcas para identificá-las e ter uma noção de quantos Evos estamos lidando.

– Com quantos estamos lidando?

– Não sei talvez uns 11

– 11! São muitos, vamos chamar reforços.

– Não! Podemos lidar com isso.

Dependente ouvimos mais gritos, eles vinham do segundo andar, os seguimos até um corredor, quando chegamos no corredor vimos um evo se alimentando de uma pessoa viva, era garota,

que aparentava ter 12 anos. Ela já estava morta, seus intestinos estavam todos para fora.

Nem pensei duas vezes peguei meu rifle e disparei na cabeça do evo, disparei 4 tiros.

Ele se levantou, regenerando os danos feitos em sua cabeça, mas não durou muito, meu esquadrão e eu disparados em seu peito até atingir seu órgão de regeneração, ele morreu na hora.

Fui caminhando até o corpo da garota, ao me aproximar dela, tiro minha máscara,não aguento e minhas lágrimas descem, fiquei chocado em ver uma criança sendo vítimas desses monstros.

– amor

Sofia vai até mim, bota a mão em meu ombro.

– Temos que ir, a operação não acabou.

Limpo minhas lágrimas, visto a minha máscara.

– Tem razão.

Saímos daquele hotel, ao pisarmos na rua, recebemos a informação a central recebeu um forte sinal vindo de um colégio, sinal esse que possivelmente indica há pessoas vivas pedindo

resgate.

Então fomos para o local , ao chegarmos na escola, já nos deparamos com os murros todo destruindo do colégio.

Entremos nele, como a escola é muito grande dividimos o esquadrão em dois, o meu grupo formado por mim,minha esposa e mais um soldados, fomos para o segundo e depois o terceiro andar. Já o outro grupo ficou procurando as vítimas em volta do colégio, pois o mesmo possui

um pátio enorme.

No corredor do segundo andar , onde estávamos, só conseguíamos ver a escuridão, pois as lanternas de nossas armas não davam conta, continuamoscaminhando até nos deparamos com dois olhos brancos, brilhando em nossa frente. Logos

surgiu quatro desses olhos em nossas costas.

Eram evos, o que estava na nossa frente nos atacou mas o derrubei com uma coronhada e

dispararem em sua cabeça o matando.

Um dos outros evos atacou o soldado que estava no grupo, uma lâmina vindo de um

deles,atravessou sua cabeça.

Minha esposa matou o outro evo, que tentou ataca-la, ele a derrubou no chão com suas garras, a ferindo, e quando ele tentou a morder, ela puxou a pistola em sua perna, disparou 7 tiros em

sua cabeça.

O evo que matou meu soldado, vendo que seu companheiro foi morto, foi atacar Sofia, mas eu impedi. Cravei minha faca nele e o derrubei no chão, mas ele liberou um tipo de cauda e me atacou, me arremessado para longe, o mesmo se a levanta e vem me atacar mas Sofia atira contra ele, o evo se vira para ela e quando ele vai a atacar, eu arremesso minha faca em sua garganta,ele cai de joelhos e ela dispara apenas um tiro em sua cabeça o matando.

Tentamos contato com o outro grupo, mas sem resposta, então continuamos a procura as vítimas.

Ao subirmos no terceiro andar eu gritei.

– Somos da Iw,viemos os tirar daqui!!

Deu certo um grupo de quatro pessoas, incluindo uma idosa aparece em nossa frente.

– Está tudo bem, sou o sargento Ryze,essa é minha esposa Sofia, nos vamos os tirar daqui com segurança. Confiem em mim.

Tiro a máscara e a jogo no chão para eles terem mais confiança em mim, observando meu rosto. Sofia faz o mesmo.

Uma das vítima chega bem perto de mim, é um garoto de 16 anos.

– Tem certeza que pode fazer isso?

– Se vierem comigo eu prometo.

Eles se olham e no fim aceitam, descemos da escola, quando saímos no pátio, vimos um dos nossos, um membro do meu esquadrão, o seu corpo estava no chão, todo torto e seu rosto,

havia sido arrancado.

Saímos do colégio, dei o sinal para a central vim nos resgatar.Nesse ponto tiamos que apenas ir para o prédio mais alto e ficar no terraço esperando nossa

carona.

Corremos até o prédio, Sofia arromba a porta que está trancada, mas ao fazer isso, é

surpreendida por um evo que puxa para dentro do prédio, sem pensar duas corro para o local.

– Sofia!!!

Não podia perder ela, o amor da minha vida, tinha que salvá-la, ela é tudo para mim, e sem eu a perder não tenho como continuar vivendo.

Quando me aproximo, vejo ela sendo puxada para perto de um evo, um não, cinco. Ele a puxa para perto deles, e antes que ela possa ter qualquer reação, ele arranca sua jugular e a come.

A raiva,tristeza, irá toma o controle de mim, ignorando as ordens uso meu poder, e com a força da minha mente a fundo o crânio e o cérebro de um desses filhos da puta. Os outros os arremesso longe puxo das colunas do prédio, metais, os arrancou e jogo nesse mera, um por um são perfurado por essas barras de ferro, todos morrem na hora. Mas há um vivo, ele estava no chão com uma barra fincada em seu peito, o desgraçado não morreu, pois como se alimentou da carne humana, vinda da minha esposa, estava se regenerado.

Fui até o seu corpo , a segurei em meu braços, as lágrimas escorriam do rosto, não podia fazer nada para salva- lá, era tarde demais, só o que me restou foi gritar e sofrer.

Me levantei pega uma pistola e fui até esse evo, apontei a arma em seu rosto.Ao me ver ele retoma a consciência, olha para o meu rosto, observa as lágrimas escorrendo dele e diz desesperado.

– Por favor me perdoem, você não sabe como ter esse instinto, viver como essa fome. Eu não queria fazer isso, mas iria morrer se não fizesse e não quero ver minha filha sem seu pai.

– eu não ligo, vá para o inferno você é sua filho, seu filho da puta!O matei, disparando 2 tiros em sua cabeça.

Então recebo pelo comunicador que o helicóptero que iria nos resgatar pousou, pego as vítimas e levo para o helicóptero.

Saímos da cidade, enquanto estávamos indo para a base, eu não parava de chorar, sofre.Tendo o pior momento da minha vida e à pior dor que um homem pode sentir.

83890cookie-checkLogan

Tags: {{chapter_after_readerarea_novel_tags}}, ,

Série Relacionada

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Capítulo 5